Um dos principais pontos turísticos de Paris, na França, a Catedral de de Notre-Dame foi atingida por um enorme incêndio na tarde desta segunda-feira.

Além da beleza da construção arquitetônica de estilo gótico que atrai cerca de 14 milhões de visitantes por ano, o prédio foi palco de várias histórias e guarda segredos ocultos que quase ninguém sabe. Confira:

Catedral de Notre-Dame: segredos ocultos

O Corcunda de Notre-Dame

Um documento pertencente ao museu Tate Modern, em Londres, revela que um dos escultores contratados para restaurar parte da Catedral de Notre-Dame, por volta de 1820, era corcunda e solitário e o romance de Victor Hugo foi escrito no mesmo período. Será que foi mera coincidência?

Estátua de arquiteto

A revolução Francesa fez com que Notre-Dame ficasse devastada e esquecida, mas o arquiteto Viollet-le-Duc viu grande potencial no prédio e decidiu iniciar o processo de restauração da construção.

E foi a partir daí que a catedral recuperou seu esplendor. Durante a restauração, ele adicionou alguns apóstolos e, anos depois, foi descoberto que um deles se tratava do próprio Le-Duc observando sua criação.

Coroa de Cristo

A coroa de espinhos de Cristo está em uma das capelas de Notre-Dame. Ela foi comprada pelo rei Luís IX e levada até a catedral em 1239.

Coroação de Napoleão

Um dos acontecimentos mais marcantes na Catedral de Notre-Dame foi a coroação do Imperador Napoleão Bonaparte em Dezembro de 1804. Foi lá também que que Joana D’Arc foi beatificada em 1909.

Vampiro na catedral

Além de colocar uma estátua de si mesmo na catedral, Viollet-le-Duc ainda adicionou as quimeras e gárgulas, sendo a mais famosa, a estige, algo como um vampiro na mitologia romana.

Galo na flecha

Uma das partes que mais destacava a catedral era a flecha, que desabou com o incêndio, com mais de 90 metros de altura.

Em sua ponta, carregava um galo, símbolo dos países gauleses, uma relíquia que representava partes da França, Bélgica e Itália.

Muita madeira

As coberturas dos enormes arcos do edifício foram feitas com com mais de 1.300 madeiras de castanheiros, ou seja, cerca de 24 hectares de floresta.

Sino que tem nome

O grande sino de Notre-Dame se chama Emmanuel. Ele tem cerca de 13 toneladas, foi restaurado no século 17 e ficava no ponto mais alto da catedral, outra parte da igreja que desabou.

Ritual com jumentos

Pode ser difícil de imaginar, mas um ritual com jumentos era realizado dentro da catedral na Idade Média. Todos os dias 26 de dezembro, um homem disfarçado de bispo montava um burro e cavalgava pelo interior de Notre-Dame, enquanto outras pessoas fantasiadas dançavam ao seu lado.

Praça de Notre-Dame

A famosa praça de Notre-Dame, que fica na frente da catedral, não existia até Napoleão III autorizar a demolição de inúmeras casas e edifícios que atrapalhavam a vista da construção.

Abelhas na sacristia

Em 2013, um apicultor doou uma colmeia para a catedral, para demonstrar gratidão, os administradores decidiram colocá-la no telhado da sacristia, onde as abelhas viviam e eram muito bem cuidadas, mas com o incêndio, é bem provável que elas não estejam mais lá.

Marco zero

No centro da praça principal de Notre-Dame fica há um círculo desenhado no chão que lembra uma bússola. Nele, é possível ler: “ponto zero das rotas da França”, o que indica que é dali que as distâncias do país são contabilizadas, como o marco zero da Praça da Sé em São Paulo.

Mais “próxima de Deus”

A arquitetura gótica caracterizada por seus longos arcos pontiagudos, era um elemento usado para os cristãos se sentirem mais próximos de Deus e, por isso, a catedral é tão alta. Notre-Dame tinha cerca de 35 metros de altura.

Mas, mesmo assim, Notre-Dame não era a catedral gótica mais alta do mundo. Ela estava em terceiro lugar, atrás de uma igreja na Alemanha e da catedral da Sé, situada na cidade de São Paulo.

Fonte: Vix